Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

PRIMEIRA IMAGEM DO SATÉLITE METEOROLÓGICO EUROPEU, MSG-4

Mäyjo, 23.09.15

O mais recente satélite meteorológico Europeu, MSG-4, lançado para o espaço no dia 15 de Julho de 2015, distribuiu a sua primeira imagem do disco terrestre no dia 4 de Agosto às 10:00 UTC. Este satélite completa a série de 4 satélites meteorológicos geostacionários Europeus designados por Meteosat de Segunda Geração, tendo o primeiro sido lançado em 2002. Com 12 canais espetrais, estes satélites fornecem imagens do disco terrestre a cada 15 minutos.

Esta imagem corresponde a um compósito de imagens de 3 dos seus canais espetrais localizados na banda do visível (0.6 e 0.8 µm) e no infravermelho próximo (1.6 µm).

imagem MSG-4

IMPACTOS DO AQUECIMENTO GLOBAL VÃO SER SENTIDOS PELA GERAÇÃO ACTUAL

Mäyjo, 23.09.15

Impactos do aquecimento global vão ser sentidos pela geração actual

Muitos cientistas acreditam que são necessários vários anos para que os efeitos do aquecimento global comecem a ser sentidos na Terra. Porém, um novo estudo norte-americano vem revelar que são apenas necessários dez anos para que uma única emissão de dióxido de carbono (CO2) provoque os seus efeitos máximos de aquecimento no planeta.

Os investigadores do Carnegie Institute for Science, em Washington, afirmam ter dissipado o equívoco comum de que os efeitos prejudiciais de uma emissão de CO2 são apenas sentidos pelas gerações futuras. Os resultados da investigação indicam que o aquecimento pode persistir durante mais de um século, mas que os benefícios da redução das emissões vão ser sentidos por aqueles que trabalharem para as diminuir.

Ou seja, todos os esforços feitos pela geração actual vão ser sentidos num espaço de dez anos e não em 30 a 50 anos, como estudos anteriores indicavam. Assim, se os esforços continuarem, a actual geração vai experienciar menos eventos meteorológicos extremos, como as vagas de calor e inundações.

“Curiosamente, apesar de muitas décadas de investigação do clima, nunca houve um estudo focado no tempo que demora a sentir o aquecimento provocado por uma única emissão de CO2, considerando as incertezas dos efeitos do clima sobre o CO2 em consideração”, afirma a investigadora principal do estudo, Katherine Ricke, aoDaily Mail.

“Muitos cientistas podem ter uma intuição sobre quanto tempo demora a sentir o aquecimento de emissão de CO2 em particular, mas essa intuição pode estar um pouco dessincronizada com as nossas melhores estimativas do clima actual e dos modelos do ciclo do carbono”, acrescenta a investigadora.

Para calcular o tempo que demora até se sentir os efeitos de uma emissão de CO2 em particular, os cientistas recorreram a dados dobre o ciclo do carbono do planeta e informação sobre o sistema climático da Terra recolhidos de modelos climáticos utilizados no último relatório sobre o assunto das Nações Unidas.

Os resultados dos cálculos indicam que o tempo médio entre uma única emissão de CO2 e os seus efeitos máximos de aquecimento são 10,1 anos. E estes efeitos podem ser sentidos durante mais de um século. A razão para estes resultados é o facto das camadas superiores dos oceanos demorarem mais a aquecer do que a atmosfera. À medida que os oceanos vão absorvendo cada vez mais CO2, o que causa o aquecimento do clima, o efeito de aquecimento provocado pelas emissões de CO2 pode ser diminuído à medida que o gás é removido da atmosfera.

Foto:  UKPlus Photos / Creative Commons